Menu Fechar

Dom Giovanni: Nunca negligencieis a unidade e o amor à Igreja

A homilia de Dom Giovanni Gaspari, na missa de ordenação, trouxe momentos de reflexão não só para os diáconos que haveriam de ser ordenados, mas também para os sacerdotes ali presentes.
Sereno e de forma perspicaz, qual pai falando a seus filhos, o Núncio apostólico em Angola e São Tomé, chamou a atenção para os dias de hoje, nos quais se exercem o ministério sacerdotal. “O Ministério, hoje, vós sabeis bem disso, está cheio de ocupações cada vez mais urgentes e dispersivas. Não vos deixeis dominar pela pressa do querer fazer, como se tudo dependesse de vós. É falta de fé e é orgulho que não dá fruto, acreditar que só se operarmos, semearmos, empenharmos com as nossas próprias forças o Reino de Deus cresce e se expande. Pelo contrário, Deus recolhe mesmo onde não semeou e faz crescer um jardim também no deserto”.
No meio de todas as distrações que advenham quer de ocupações directas quer de outras indirectas, há três elementos que não devem nunca ser esquecidos, “O que mais importa é a vossa união com Cristo e a Igreja. A vossa formação constante e o compromisso de serem sacerdotes segundo o coração de Cristo, até ao ponto de terem os seus mesmos sentimentos” – referiu o Núncio.
Muitos são os meios que ajudam um sacerdote a se manter firme na decisão tomada de seguir a Cristo mais de perto, dos quais um deles se destaca e Dom Giovanni se referiu a ele. “Nunca negligencieis a unidade e o amor à Igreja”, e a seguir acrescentou “não se pode amar a Cristo se não se ama a Igreja. Porque não se pode amar a cabeça de um corpo se não se ama todo o corpo, aquele corpo do qual todo o baptizado é membro, cada um pela sua parte”. E recorrendo ao que os Padres da Igreja disseram, acrescentou: “ Não podemos ter Deus como nosso Pai se não tivermos a Igreja como nossa mãe”.
A Igreja a que Dom Giovanni se refere é a mesma que através dos tempos tem e teve “aspectos belos e fascinantes” mas também “aspectos menos belos, que por vezes nos parecem insuficientes ou criticáveis”. Daí, “a obediência ao Bispo não é, portanto, uma opção e a sua aceitação garante a comunhão eclesial que está no fundamento do vosso ministério. Assim é também para a comunhão com os outros presbíteros”, referiu.
Logo a seguir Dom Giovanni Gaspari, advertiu, olhando para cada um dos sacerdotes ali presentes: “Mesmo o ministério mais eficaz, do ponto de vista da audiência, corre o risco de produzir apenas folhas secas destinadas a serem queimadas se for conduzido isolado, sem a busca humilde e paciente da unidade com o bispo e com os outros presbíteros”.
Um outro aspecto também salientado durante a homilia foi a humildade que deve caracterizar os novos e os sacerdotes mais experimentados. “Aprendei também dos leigos, dos quais o sacramento da ordem vos distingue, mas é com uma distinção que nasce e se radica no ser servo do povo de Deus, e portanto não deve ser acentuada com palavras, comportamentos, mesmo sinais externos com orgulho, caracterizados mais por uma força a exceder do que por um serviço”.
“Todos nós servimos uns aos outros”, refere o Núncio que acrescenta: “Os ministros ordenados, não devem se sentir acima, mas sim ao serviço”. Depois de fazer referência ao conceito do termo ministro – “os menores de todos” –, disse, de forma muito próxima aos sacerdotes, sublinhando: “sabemos bem que o ministério sacerdotal é um serviço a ser exercido ao estilo de Jesus”.
Com o pensamento nos quatro diáconos que haviam de ser ordenados naquele dia de Domingo, ali a sombra das árvores que cobrem uma boa parte do recinto da Catedral da Diocese de Viana, Dom Giovanni Gaspari, falou aos fiéis leigos presentes e aqueles que estavam a acompanhar a celebração pela rádio: “A vós, queridos fieis, recomendo que recebais estes sacerdotes na comunidade para onde serão enviados, com espírito de amizade. Não os sobrecarregando imediatamente com tantos serviços e empenhos, mas respeitando gradualmente os seus caminhos de integração na pastoral para que mantenham aquela regra de vida metódica que até aqui receberam do seminário, e que ainda que renovada no tempo e nos modos, deve manter-se um ponto forte e uma referência essencial para o próprio sacerdócio”.
São pontos que sobressaem da homilia de Dom Giovanni Gaspari, Núncio apostólico em Angola e São Tomé, durante a missa de ordenação de quatro novos sacerdotes. A ordenação aconteceu no recinto da Catedral da Diocese de Viana, no dia 17 de Outubro de 2021.
Os sacerdotes que acorreram à cerimónia de ordenação, aproveitaram a oportunidade para reflectir sobre o ministério que exercem na Diocese de Viana.

Sammy de Jesus

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *