Menu Fechar

Dom Emílio Sumbelelo: Quando a inveja se petrifica ela torna-se ódio e leva a matar

Duas realidades estão na base de uma convivência pouco são entre os homens e entravam o progresso dos povos. Essas realidades são o Orgulho e a Inveja, como lembrou Dom Emílio Sumbelelo, durante a homilia da missa do segundo domingo de advento.
O convite feito nos textos que a liturgia escolheu para o dia, abater os lugares altos e endireitar caminhos tortuosos, foram aproveitados para chamar a atenção para determinadas atitudes que se vão cultivando nos dias de hoje. Essas atitudes têm a ver com orgulho e inveja, como referiu Dom Emílio Sumbelelo.
No que toca a caminhos tortuosos, eles foram traduzidos da seguinte forma: “No seio das nossas famílias, nos nossos lugares de trabalho, na nossa sociedade, entre os nossos vizinhos, muitas das vezes reinam esses caminhos tortuosos que nós queremos traduzir por inveja, por inveja.”
O tema da inveja está presente na Sagrada Escritura, e esta a define de uma muito simples e directa: “A Inveja é o mal de todos os vícios e de todos os pecados”.
Depois de recordar a definição, o Bispo de Viana deu alguns exemplos para uma melhor percepção. “A inveja que é o não gostar que o outro tenha uma coisa porque eu não tenho, a inveja que é o não gostar que o outro tenha uma casa em condições, mais espaçosa e eu não tenho, então quero que ele se iguale a mim. Eu não tenho casa, que ele também não tenha.”
Família e sociedade são lugares onde a inveja cresce e se vai estabelecendo, deixando a sua marca. “Quando numa família os membros respiram inveja uns pelos outros, quando numa sociedade o outro nunca esta contente porque o irmão tem um determinado dom, tem uma certa habilidade, quando no seio da sociedade construímos carreiras com espírito de inveja, invejando uns aos outros para usurparmos o lugar daquele que tem qualidades para melhor desempenhar aquela actividade ou aquele serviço, nós não criamos paz, não criamos uma harmonia sã, não criamos serenidade, nem muito do progresso que desejamos”.
Harmonia, serenidade e espírito de progresso são marcas necessárias para a construção de qualquer sociedade, a começar pela família. Contudo, para que tal aconteça, um exercício de conversão tem que acontecer com alguma constância e regularidade. Caso não, a Inveja pode chegar a níveis destrutivos, pois “esta inveja quando é muita no coração de uma pessoa, quando se petrifica no coração de uma criatura, ela evolui para o ódio. E aí começam todos os problemas, se é na família no seio da família. E tudo começou com uma sementezinha de inveja, agora tornou-se ódio. Nos odiamos. E quando o ódio se torna petrificado no coração, não só odiamos como procuramos matar.”
Ódio e morte são opostos ao Amor e a Vida, duas realidades que se celebram no Natal. Daí que o tempo de advento seja uma boa oportunidade para que cada um faça uma autoavaliação, também nesses quesitos e se liberte da causa: a Inveja.
Esse apelo de Dom Emílio Sumbelelo, Bispo da Diocese de Viana, foi feito durante a homilia da missa de encerramento da Visita Pastoral à Paróquia Verbo Divino, no segundo domingo de advento.
A Visita Pastoral teve a duração de dois dias. Nesses dias de visita, Dom Emílio Sumbelelo crismou duzentos e noventa fieis, sendo cento e quarenta no sábado e cento e cinquenta no Domingo.

Sammy de Jesus

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *