Menu Fechar

“Sentido de pertença” no centro da reflexão do primeiro encontro anual dos sacerdotes diocesano em Viana

A Paróquia do Santíssimo Redentor, no Kilamba, acolheu o primeiro encontro de 2022 dos Sacerdotes Diocesano de Viana. Os sacerdotes estiveram reunidos sob a presidência do Bispo diocesano, Dom Emílio Sumbelelo.
Com o objectivo de dinamizar o trabalho e proporcionar uma melhor articulação Pastoral, o primeiro momento do encontro ficou marcado pela eleição da nova Direcção da UAC, União Apostólica do Clero. Foram eleitos: Padre Faria Neto (Presidente), Padre António Hamuyela (Secretário) e Padre Fernando José Matapalo (Tesoureiro).
Depois da eleição da nova Direcção da UAC, seguiu-se a Celebração Eucarística presidida por Dom Emílio Sumbelelo.
“Sentido de pertença” foi o tema central da reflexão homilética do Prelado de Viana. A começar, Dom Emílio explicou aos sacerdotes diocesanos o significado e o alcance do “sentido de pertença” na Igreja e na vida sacerdotal.
“Na Igreja em geral e na vida sacerdotal em particular, a palavra pertença não deve ser usada com o mesmo significado do verbo pertencer. Para nós, pertença não é apenas o ser padre, é mais. É principalmente fazer parte activa de um todo. Pertença está relacionada com a ideia de estar enraizado, de interação, de integração plena, em que o indivíduo, cada pessoa, o sacerdote constrói e é construído também. Este, usando a linguagem naval, ao mesmo tempo é vento, porque sopra e empurra e, é ao mesmo tempo esta vela que quando é empurrada pelo vento faz caminhar a nave para frente”. E continuando, disse ser o caso “em que o sacerdote planeia, faz o seu projecto e também se vê parte de um projecto, em que modifica e também se deixa modificar”. E concluiu: “Este é o alcance da expressão pertencer para nós, sacerdotes”.
Na sequência, Dom Emílio recordou aos sacerdotes a necessidade do serviço desinteressado aos irmãos a exemplo de Jesus Cristo. “Meus queridos padres, a primeira característica de quem está cheio de espírito de pertença é o seu desejo de servir. Este servir desinteressadamente. Este servir olhando para Jesus, o Mestre, que nos diz assim: o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar vida em resgaste de muitos. Ser cristão é assumir o modelo de vida o serviço aos irmãos e ser sacerdote é servir desinteressadamente os irmãos que o Senhor colocou no meu caminho. O espírito de pertença está fortemente relacionado com o serviço, com a doação de si mesmo aos irmãos, de modo particular, aqueles irmãos que são do mesmo Presbitério.”
“A pertença, portanto, caros sacerdotes, implica o amor à Diocese, implica compromisso, acção, fidelidade e zelo. E tudo isto, são as palavras chave de toda e qualquer pertença à Igreja. Se eu digo que pertenço à Igreja de Viana me devo comprometer com ela, devo abraçar o projecto de Pastoral que tem, devo ser zeloso para com a missão que o Bispo me confia”.
Após a Eucaristia, alguns sacerdotes diocesanos falaram em relação a mensagem deixada pelo Bispo Diocesano.
Segundo o Vigário Geral da Diocese de Viana, Padre Fila José Zua Cassule, o primeiro encontro do ano do Clero Diocesano foi bastante proveitoso. “É um regresso às origens; já temos tido estes encontros e este foi o primeiro do ano 2022, com a presença do Clero Diocesano e o nosso Bispo que, nos vai alertando sobre alguns aspectos da vida sacerdotal e também da própria Igreja. Foi um dia de alegria pelo número de sacerdotes diocesanos presentes, manifestando esta comunhão e fraternidade no Presbitério”, salientou.
O Padre Faria Neto, eleito Presidente da UAC (União Apostólica do Clero), disse que se aterá a dois aspectos ligados ao sentido de pertença, mencionados pelo Bispo Diocesano, para levar à cabo a missão que lhe foi confiada de modo de o Clero Diocesano possa atingir níveis de crescimento cada vez mais desejados. Segundo o sacerdote, “fidelidade e serviço”, são os dois componentes que vão certamente nortear o seu serviço na UAC.
Por seu turno, o Padre Fernando José Matapalo, Pároco na Paróquia Nossa Senhora da Boa Nova (Estalagem), declarou: “Foi um encontro frutífero. Estar ao lado do Pai e com os irmãos para vivermos cada vez mais a nossa mística sacerdotal e também a nossa dimensão de serviço dentro da Igreja e no meio do Povo de Deus, é sempre bom. É neste sentido de pertença à Igreja de Deus em comunhão com o Santo Padre, com o nosso Bispo, com o nosso Povo dentro da Igreja de Viana que somos todos chamados a viver também a fidelidade da nossa vocação sacerdotal e a nossa missão”.
Para o Padre Vicente Melo, Reitor do Santuário de Nossa Senhora da Conceição da Muxima (Quissama), o encontro foi oportuno para o fortalecimento do Clero Diocesano. “Diante destas palavras do Senhor Bispo, vamos procurando cada vez mais caminhar na graça, nos santificarmos com este Povo de Deus que o Senhor nos concedeu”.
“Todos nós, os padres, devemos ter essa consciência de pertença à Diocese de Viana, trabalhar por ela, lutar por ela e fazer tudo para que ela se desenvolva como Diocese, mantendo uma relação saudável com o Bispo da Diocese, nosso Pastor e cumprindo as suas orientações Pastorais”, disse o Padre Daniel de Kanhama, Reitor do Centro Pastoral autónomo Santa Rita de Cássia ( Zango 4).
Após a Celebração Eucarística, os Sacerdotes Diocesanos de Viana tiveram um momento de confraternização na companhia do Bispo Diocesano, Dom Emílio Sumbelelo. O encontro aconteceu na manhã de segunda-feira, 10 de Janeiro de 2022.

Hibraina Celeste

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *