Menu Fechar

Dom Sumbelelo: O Sínodo foi para todos nós uma escola de vida e de comunhão

Com a Missa Solene celebrada este Domingo dia vinte de Março, a Diocese de Viana encerrou a primeira fase da Caminhada Sinodal.
Aberta a cerca de cinco meses, no dia dezassete de outubro de 2021, esta fase de escuta, de vivência e de trabalho levou a criação de 55 núcleos, para que as comunidades e as estruturas da Diocese estivessem todas envolvidas.
Foi uma fase em que levados a caminhar juntos, permitiu reflectir “em conjunto” e a aprofundar “processos”, “métodos” que podem ajudar a Igreja Particular de Viana a “viver a comunhão, a realizar a participação e a abrir-se para a missão”, como referiu Dom Emílio Sumbelelo, durante a homilia deste Domingo.
Durante o período de tempo que durou está fase que agora encerra, testificou o Bispo de Viana, “De mãos dadas colocamo-nos a escuta do Espírito Santo, que como o vento sopra onde quer. Ouves o seu ruido, mas não sabes de onde vem nem para onde vai. Permanecendo abertos as surpresas para as quais certamente nos predisporá ao longo do caminho”.
Uma boa nova foi anunciada por Dom Emílio Sumbelelo aos diocesano de Viana, no decorrer da homilia: “O Sínodo foi para todos nós uma escola de vida e uma escola de comunhão, onde todos nós: Bispo, Sacerdotes, Irmãs Religiosas, jovens, adultos e crianças, homens e mulheres, reaprendemos novamente”.
Esse aprendizado foi triplo, segundo o Bispo. Primeiro “saber escutar. Onde aprendemos a escutar a Voz de Deus que se faz ouvir e sentir atravez da Sagrada Escritura, do Magistério da Igreja e também a escutar com atenção os irmãos e as irmãs que connosco peregrinam para a casa do Pai”.
Segundo é que “do caminhar juntos para a renovação, aprendemos a tomar a palavra, a falar com verdade, liberdade, mas sobretudo com caridade, para o bem da família, para o bem da nossa sociedade angolana, para o bem da nossa Igreja em Viana”.
Terceiro, “o sínodo ensinou-nos, nós os filhos e filhas da Diocese de Viana, a partilhar as responsabilidades, no seio das nossas paróquias, no seio dos nossos centros de pastoral, até nas nossas capelas. E tal necessidade e acção, temos toda a consciência de que nos vem do baptismo, aquele sacramento que nos torna filhos de Deus e também membros da Igreja, com todos os direitos, mas também com todos os deveres, respeitando o lugar e a vez de cada um no seio da comunidade”.
O percurso feito permitiu identificar debilidades e tomar consciência de que elas existem em vários lugares. “Somos conscientes das nossas debilidades e faltas quanto a escuta e também somos conscientes das grandes causas que são os nossos preconceitos, a nossa indisponibilidades para estarmos sempre prontos a escutarmos uns aos outros e o nosso complexo de superioridade. Existe uma incapacidade e uma aversão generalizada que interferem na dinâmica de nos ouvirmos uns aos outros com paciência, generosidade, verdade e atenção” – reconheceu o Bispo.
Durante o tempo que durou esta fase do Sínodo, havia sido pedido que todo o empenho fosse posto nas actividades sinodais. Agora na hora do regresso as actividades pastorais ordinárias, Dom Emílio Sumbelelo fez um pedidio especial aos seus co-diocesanos: “Esta primeira fase que hoje termina, foi para todos nós uma ocasião de experimentar em família a fraternidade, a corresponsabilidade e a comunhão ecclesial. Fazemos votos que em cada um dos nossos grupos, movimentos apostólicos e associações diocesanas haja maior empenho de se viver já aquilo que o Espírito Santo tornou palpável e urgente na nossa Igreja Particular de Viana”.
O documento com a Síntese Diocesana foi entregue ao Bispo da Diocese no momento de acção de graças, por um membro do Secretáriado Diocesano do Sínodo. Foi um gesto inverso em relação ao feito durante a cerimónia de abertura da caminhada sinodal, onde o Bispo da Diocese entregou aos animadores sinodais dos núcleos constituidos, uma vela e três documentos: o Vademecum, Documento Preparatório e o Calendário para as actividades. Esse documento vai posteriormente ser enviado a sede da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé – CEAST.
Durante todo o processo de escuta, na Diocese de Viana, foram ouvidas, cerca de 58 mil pessoas.
A Missa Solene, encerrou também os trabalhos da Assembleia Sinodal Diocesana que foi realizada ontem, na catedral da Diocese, com a presença do Bispos da Diocese.

Sammy de Jesus

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *